Agradecimento

 

O master DMR nacional foi substituído este fim de semana. O antigo master mantém-se ainda em funcionamento até que todos os dispositivos ligados tenham sido migrados para o novo.

 

 

Esta mudança só foi possível graças à colaboração e apoio do Núcleo de Radioamadorismo do ISEL.

 

 

O sistema passou a estar alojado no centro de dados e comunicações do Instituto Politécnico de Lisboa (www.ipl.pt) com excelentes condições de conectividade e disponibilidade.

 

 

 

A rede nacional de voz digital agradece ao Instituto Politécnico de Lisboa e ao Núcleo de Radioamadorismo do ISEL a disponibilidade e suporte dados.

 

 


 

Aos utilizadores DMR

 

 

 

Consegui hoje, com êxito, criar a tabela Excel com os contatos novos para o Hytera (equipamento em teste é um MD785G) evitando assim “coloca-los à unha”, o processo não é pacífico e até é bem complexo. É limitativo em dimensão do campo <alias> ou seja o indicativo mais o nome não pode exceder os 16 caracteres, também não importa indicativos duplicados, isto porque existem muitos colegas que pediram segundo ID e o Hytera não permite duplicações, optei por adicionar o “/p” ao alias e com isto há certos nomes que não se completam, por exemplo “Henrique” que fica limitado a “Henriqu”.

 

Esta situação dos duplicados (25) e de registo de ID’s de associações (2) dão-me então a realidade de registos por ID, são 278 e não os 305 que se podem importar. Esta realidade leva-me também a solicitar que não se façam registos só para se terem muitos, façam-no se tem dois equipamentos ou mais e se os querem identificar individualmente, por exemplo para receção de SMS’s, não existe nenhuma razão para fazerem mais que um registo se acaso só tem um equipamento. Relembro que o primeiro ID é o único que funciona na bridge DMR<>DSTAR, os demais não passam para a rede DSTAR.

 

Pedia também às Associações para não fazerem registo dos indicativos associativos, não tem razão de ser numa rede digital.

 

O ficheiro de contatos atualizado à data de hoje está disponível no site dmr-portugal.org no separador “Software”. A importação dos contatos (TG’s incluídos) fará com que os canais que tinham classificado anteriormente e os seus respetivos TG’s saiam da ordem em que estavam, assim após a importação devem verificar se os contactos foram todos importados convenientemente e rever toda a configuração dos canais digitais, isto porque se na vossa anterior lista, e por exemplo, o canal Nacional teria o TG 268 que estava na posição 28 da lista de contatos nesta nova lista ao ter outra posição esse canal terá lá algo que não o TG 268.

 

Qualquer problema notado, falha ou mesmo opinião será bem recebida e será um contributo de ajuda.

 

Supostamente este ficheiro será suportado pelos modelos MD6xx e MD7xx, se acaso algum colega tiver um PD6xx ou PD7xx que queira experimentar a importação e confirmar-me se funciona agradecia.

 


Cuidado com o novo firmware.

 

 

 

INFORMAÇÃO

 

 

Quando actualizarem o firmware do Tytera/Retevis/Vitai pela última versão do mmd380tools tenham o cuidado de verificar se o ID do radio não passou para “16777215“, além de se ficar irreconhecível na rede muito em breve a utilização de ID’s não registados será “barrado” na rede, o acesso ao repetidor é possível mas não na rede.

 

 


 

 

Transmissão “Live” da palestra “DMR mais um digital”

 

Para os colegas que não se possam deslocar a este evento fica aqui o link da ligação “ao vivo” ao evento.

 

Será dada oportunidade aos colegas que assistam remotamente à palestra para colocarem questões, elas serão respondidas por mim ou pelo Paulo Pereira – CT1HDC que me apoiará no evento. Agradece-se que as questões só sejam colocadas após a nossa informação para o fazerem. O meu muito obrigado a todos.

 

Link: https://youtu.be/jk1YGecPulE

Link: https://www.youtube.com/watch?v=NQ9HMb9WiZU

 

 

Depois de almoço.

 

 

 

Alterações feitas na rede DMR PT

 

 

Caros colegas.

No dia 1 de Agosto alterei a configuração de TG’s estáticos (ou seja sempre ativos) no BM2681. O objectivo é facilitar e incentivar uma maior utilização por regiões.

Como já devem ter notado, e utilizado, a predominância de utilização recai sempre sobre o 268 – Nacional, muito embora no codeplug que distribui existam os outros canais a nível regional, Zona Norte, Centro e Capital, eles são pouco usados, penso que a maior justificação seria o facto de sendo TG dinâmico (só activo após PTT e só durante 10 min.) não haver nunca ninguém o poderia escutar.

Assim dia 1 de Agosto foi configurado como estáticos os seguintes TG’s:

 

268 – Nacional

2681 – Região Norte

2682 – Região Centro

2683 – Capital

O 91 só é estático aos sábados entre as 17~18H para o WorldWide Net Control

 

Quando se justificar os restantes grupos regionais serão adicionados, espero que em breve.

 

A nova configuração permite a quem o use saber que será enviada a sua mensagem na região escolhida, no entanto só terá feedback se os colegas dessas regiões tiverem o scan list activo para esses TG’s, ou o RX list (algo que não aconselho)

 
 

Atualizada a página “Software”

 

Foi atualizada a página Software. Adicionado o CPS para o Motorola (última versão), adicionado o CPS para Hytera (última versão) e o software para a DV4mini.

 

Este último tem que ter o firmware 1.66 o superior instalado no DV4mini.

 

 

7 Meses se passaram… os objectivos do projecto foram atingidos

 

 

Este projecto nasceu a 21/09/2015, verificaram-se as necessidades, avaliaram-se os custos e os meios necessários e em Janeiro deram-se por concluídos os primeiros passos com a aquisição do repetidor Hytera para com ele poder interligar as redes DMR ao DSTAR.

7 meses se passaram desde esse dia novas ideias surgiram no horizonte e com elas a possibilidade de se criarem repetidores caseiros, pontos de acesso com baixa potência, vulgo hotspots, assim aquilo que foi uma ideia inicial de integração de redes é já neste momento tão grande em dimensão como a existente rede DSTAR e está a crescer.

No ínício Portugal contava unicamente com o único repetidor DMR, pertença da ARLC, ligado numa estrutura rígida para aquilo que são os interesses dos radioamdores, com o arranque deste projecto a ARLC aprovou e reuniu-se ao que era então a rede DMR+ e mais tarde à actual BrandMeister. Na altura eram os únicos repetidores existentes na rede DMR de amador, volvidos 5 meses e eis que de 2 passámos a ser 7 repetidores, graças ao trabalho desenvolvido por vários colegas que abraçaram o desafio de criar a sua estrutura “feita em casa”.
 
Este projecto de repetidores caseiros veio abrir a porta a uma nova tecnologia e um novo modo de encarar/resolver as diferenças entre as actuais redes de voz digital por forma a congregá-las numa só, assim neste momento os repetidores “caseiros” tem a possibilidade de operar tanto DMR, como DSTAR e mesmo System Fusion, só havendo neste último uma limitação, não pode operar em WV. O Jonathan Naylor, o mentor deste e de muitos outros projectos relacionados com voz digital, chamou “carinhosamente” a este sistema OpenSystemFusion, permitindo com isto que um utilizador DMR fale com um utilizador SF e este com DSTAR.
 
Este é o actual ponto de situação na plano nacional daquilo que nasceu como sendo um sonho e que após 7 meses tem esta dimensão e esta realidade.
 
Obrigado a todos os que apoiaram e acreditaram que era possível.

 

 

Fusion + DMR

System-Fusionimages

 

A rede BrandMeister conta agora com a possibilidade da interligação com a rede Fusion. Vamos entender o seu funcionamento.

 

Com o início do projeto MMDVM foi aberta a porta à possibilidade de um mesmo repetidor poder operar os três modos digitais, DSTAR, DMR e Fusion, assim e se o mesmo operar o modo Fusion pode em simultâneo ser um Gateway Fusion coletando a informação de todos os reflectores existentes até à data (são 11) e possibilitando a busca e a escolha de ROOM como as existentes no Wires-X. Esta ligação é feita em exclusivo no repetidor MMDVM operado em Fusion.

 

Como é possível então a ligação cruzada com o DMR?

 

– O servidor BrandMeister tem um (ou mais) TG configurado para ligação a um reflector Fusion, no caso do BM268 (servidor BrandMeister Português) estão configurados os seguintes TG’s:

 

TG 268950 – Futura ligação ao repetidor CQ0DGO e este ao ROOM 27240 WIRES-X (em teste)

TG 268951 – Ligado ao reflector —FUSION-PRT—

TG 268960 – Ligado ao reflector YSF001 (Austrália)

 

Este último de momento é o mais activo, muitos colegas tem já repetidores MMDVM que são simultaneamente repetidores Fusion e estão desenvolvendo testes neste último. O português está activo mas por enquanto sem ligações a não ser a de teste. Isso pode ser visto na seguinte imagem, a quadricula vermelha mostra /0xx que são o número de ligações activas.

 

2016-06-10_113511

Para quem está no projeto MMDVM e queira tentar mais este modo deve instalar o YSFGateway por “git”, disponível em https://github.com/g4klx/YSFClients.git, e compilar a aplicação YSFGateway (as demais podem ser eliminadas) deve também ter as ultimas actualizações do MMDVM e do MMDVMHost, bem como habilitar o System Fusion no repetidor.

 

Template dos ficheiros *.ini

MMDVM.ini

[General]
Callsign=XXXXXX
Timeout=180
Duplex=1
RFModeHang=10
NetModeHang=3
Display=none
Daemon=1

[Info]
RXFrequency=430047500  
TXFrequency=438075000
Power=1
Latitude=0.0
Longitude=0.0
Height=5
Location=xxxxxx
Description=Multi-Mode Repeater
URL=dmr-portugal.org

[Log]
# Logging levels, 0=No logging
DisplayLevel=2
FileLevel=2
FilePath=/tmp/
FileRoot=MMDVM

[Modem]
Port=/dev/ttyACM0
# Port=\\.\COM4
TXInvert=0
RXInvert=0
PTTInvert=0
TXDelay=100
RXLevel=90
TXLevel=35
DStarLevel=0
DMRLevel1=0
DMRLevel3=0
YSFLevel1=0
YSFLevel3=0
DMRThreshold=0
YSFThreshold=0
OscOffset=0
Debug=1

[D-Star]
Enable=1
Module=B

[DMR]
Enable=1
Beacons=0
Id=268xxx
ColorCode=1
SelfOnly=0
# Prefixes=234,235
LookupFile=/etc/DMRIds.dat (devem copier este e os ini para esta pasta)

[System Fusion]
Enable=1
Parrot=0

[D-Star Network]
Enable=1
GatewayAddress=127.0.0.1
GatewayPort=20010
LocalPort=20011
Debug=1

[DMR Network]
Enable=1
Address=bm2681.from-ct.com
Port=62031
Password=passw0rd
Slot1=1
Slot2=1
Debug=1

[System Fusion Network]
Enable=1
LocalAddress=127.0.0.1
LocalPort=3200
GwyAddress=127.0.0.1
GwyPort=4200
Debug=0

[TFT Serial]
Port=/dev/ttyAMA0
Brightness=50

[Nextion]
Port=/dev/ttyAMA0
Brightness=15
Size=2.4

[HD44780]
Rows=4
Columns=20
# rs, strb, d0, d1, d2, d3
Pins=11,10,0,1,2,3

YSFGateway.ini

[General]
Callsign=XXXXXX
RptAddress=127.0.0.1
RptPort=3200
LocalAddress=127.0.0.1
LocalPort=4200
Daemon=1

[Info]
RXFrequency=430475000
TXFrequency=438075000
Power=1
Latitude=0.0
Longitude=0.0
Height=0
Name=xxxxxx
Description=Multi-Mode Repeater

[Log]
# Logging levels, 0=No logging
DisplayLevel=1
FileLevel=1
FilePath=/tmp/
FileRoot=YSFGateway

[aprs.fi]
Enable=0   (se já tiverem habilitado no ircddbgateway o APRS não o façam aqui)
Server=spain2.aprs2.net
Port=14580
Password=*passcode*

[Network]
Enable=1
DataPort=42000
StatusPort=42001
Hosts=/etc/YSFHosts.txt
Debug=1

 

Os ficheiros MMDVMHost e YSFGateway devem ser habilitados em modo “daemon” (evitando assim o uso do screen) e devem ser colocados na pasta /usr/bin, os ficheiros *.ini, DMRId.dat e YSFHosts.txt devem ser colocados na pasta /etc.

O arranque em modo automático deve ser feito da seguinte forma:

 

2016-06-10_120252

 

Devem também criar o user “mmdvm” da seguinte forma: –  useradd mmdvm -s /sbin/nologin -p ‘*’ e adicionar esse user ao sudo:

 

2016-06-10_120538

 

Como devem entender estes são testes iniciais, dentro do reflector (ou gateway) podem ser operados os modos DN e VW, mas nas ligações ao DMR só pode ser usado o modo DN. Podem os “keeper” dos MMDVM repeaters decidir que querem ou não a ligação ao DMR, bastando para tal desabilitar no ficheiro YSFHosts.txt o reflector que saibam ligado ao DMR colocando um cardinal (#) no inicio da declaração.

 

 

Qualquer dúvida surgida ou de como operar disponham.