Fusion + DMR

System-Fusionimages

 

A rede BrandMeister conta agora com a possibilidade da interligação com a rede Fusion. Vamos entender o seu funcionamento.

 

Com o início do projeto MMDVM foi aberta a porta à possibilidade de um mesmo repetidor poder operar os três modos digitais, DSTAR, DMR e Fusion, assim e se o mesmo operar o modo Fusion pode em simultâneo ser um Gateway Fusion coletando a informação de todos os reflectores existentes até à data (são 11) e possibilitando a busca e a escolha de ROOM como as existentes no Wires-X. Esta ligação é feita em exclusivo no repetidor MMDVM operado em Fusion.

 

Como é possível então a ligação cruzada com o DMR?

 

– O servidor BrandMeister tem um (ou mais) TG configurado para ligação a um reflector Fusion, no caso do BM268 (servidor BrandMeister Português) estão configurados os seguintes TG’s:

 

TG 268950 – Futura ligação ao repetidor CQ0DGO e este ao ROOM 27240 WIRES-X (em teste)

TG 268951 – Ligado ao reflector —FUSION-PRT—

TG 268960 – Ligado ao reflector YSF001 (Austrália)

 

Este último de momento é o mais activo, muitos colegas tem já repetidores MMDVM que são simultaneamente repetidores Fusion e estão desenvolvendo testes neste último. O português está activo mas por enquanto sem ligações a não ser a de teste. Isso pode ser visto na seguinte imagem, a quadricula vermelha mostra /0xx que são o número de ligações activas.

 

2016-06-10_113511

Para quem está no projeto MMDVM e queira tentar mais este modo deve instalar o YSFGateway por “git”, disponível em https://github.com/g4klx/YSFClients.git, e compilar a aplicação YSFGateway (as demais podem ser eliminadas) deve também ter as ultimas actualizações do MMDVM e do MMDVMHost, bem como habilitar o System Fusion no repetidor.

 

Template dos ficheiros *.ini

MMDVM.ini

[General]
Callsign=XXXXXX
Timeout=180
Duplex=1
RFModeHang=10
NetModeHang=3
Display=none
Daemon=1

[Info]
RXFrequency=430047500  
TXFrequency=438075000
Power=1
Latitude=0.0
Longitude=0.0
Height=5
Location=xxxxxx
Description=Multi-Mode Repeater
URL=dmr-portugal.org

[Log]
# Logging levels, 0=No logging
DisplayLevel=2
FileLevel=2
FilePath=/tmp/
FileRoot=MMDVM

[Modem]
Port=/dev/ttyACM0
# Port=\\.\COM4
TXInvert=0
RXInvert=0
PTTInvert=0
TXDelay=100
RXLevel=90
TXLevel=35
DStarLevel=0
DMRLevel1=0
DMRLevel3=0
YSFLevel1=0
YSFLevel3=0
DMRThreshold=0
YSFThreshold=0
OscOffset=0
Debug=1

[D-Star]
Enable=1
Module=B

[DMR]
Enable=1
Beacons=0
Id=268xxx
ColorCode=1
SelfOnly=0
# Prefixes=234,235
LookupFile=/etc/DMRIds.dat (devem copier este e os ini para esta pasta)

[System Fusion]
Enable=1
Parrot=0

[D-Star Network]
Enable=1
GatewayAddress=127.0.0.1
GatewayPort=20010
LocalPort=20011
Debug=1

[DMR Network]
Enable=1
Address=bm2681.from-ct.com
Port=62031
Password=passw0rd
Slot1=1
Slot2=1
Debug=1

[System Fusion Network]
Enable=1
LocalAddress=127.0.0.1
LocalPort=3200
GwyAddress=127.0.0.1
GwyPort=4200
Debug=0

[TFT Serial]
Port=/dev/ttyAMA0
Brightness=50

[Nextion]
Port=/dev/ttyAMA0
Brightness=15
Size=2.4

[HD44780]
Rows=4
Columns=20
# rs, strb, d0, d1, d2, d3
Pins=11,10,0,1,2,3

YSFGateway.ini

[General]
Callsign=XXXXXX
RptAddress=127.0.0.1
RptPort=3200
LocalAddress=127.0.0.1
LocalPort=4200
Daemon=1

[Info]
RXFrequency=430475000
TXFrequency=438075000
Power=1
Latitude=0.0
Longitude=0.0
Height=0
Name=xxxxxx
Description=Multi-Mode Repeater

[Log]
# Logging levels, 0=No logging
DisplayLevel=1
FileLevel=1
FilePath=/tmp/
FileRoot=YSFGateway

[aprs.fi]
Enable=0   (se já tiverem habilitado no ircddbgateway o APRS não o façam aqui)
Server=spain2.aprs2.net
Port=14580
Password=*passcode*

[Network]
Enable=1
DataPort=42000
StatusPort=42001
Hosts=/etc/YSFHosts.txt
Debug=1

 

Os ficheiros MMDVMHost e YSFGateway devem ser habilitados em modo “daemon” (evitando assim o uso do screen) e devem ser colocados na pasta /usr/bin, os ficheiros *.ini, DMRId.dat e YSFHosts.txt devem ser colocados na pasta /etc.

O arranque em modo automático deve ser feito da seguinte forma:

 

2016-06-10_120252

 

Devem também criar o user “mmdvm” da seguinte forma: –  useradd mmdvm -s /sbin/nologin -p ‘*’ e adicionar esse user ao sudo:

 

2016-06-10_120538

 

Como devem entender estes são testes iniciais, dentro do reflector (ou gateway) podem ser operados os modos DN e VW, mas nas ligações ao DMR só pode ser usado o modo DN. Podem os “keeper” dos MMDVM repeaters decidir que querem ou não a ligação ao DMR, bastando para tal desabilitar no ficheiro YSFHosts.txt o reflector que saibam ligado ao DMR colocando um cardinal (#) no inicio da declaração.

 

 

Qualquer dúvida surgida ou de como operar disponham.

BrandMeister PT já tem reflector Fusion

 

Uma das características do Brandmeister reside na reunificação das várias redes de voz digital. Desde que a Yaesu lançou este produto que houve várias análises de como tornar possível a ligação, um dos contras é o facto de o YSF não enviar no stream de dados informação sobre o utilizador, esse senão já foi ultrapassado, outro contra é também o facto de a rede Wires ser uma estrutura fechada.
Desde o penúltimo upgrade já é possível ligar um node registado na rede Wires a um TG no BrandMeister permitindo assim a interligação entre as duas redes e agora, graças ao trabalho desenvolvido pelo Jonathan – G4KLX, também é possível com a utilização do software para repetidores/hotspots MMDVMHost, a ligação a reflectores YSF.

Foi criado hoje e está ainda em fase de testes um reflector no nosso país, obviamente que só faz sentido a sua utilização aqueles que tenham um repetidor MMDVMHost a funcionar e que pretendam habilitar a recepção/emissão de Fusion, para estes deixo aqui os dados da ligação.

 

 

2016-05-22_192000

 

Só para os mais esquecidos lembrem-se que são precisos dois para os testes 🙂

Como qualquer software em fase de teste, agradece-se relatórios de desempenho ou falhas notadas.

 

 

CQ0DTRZ, novo repetidor DMR na Serra do Arestal – Aveiro

 

Entrou em funcionamento às 20:00 de 17/04/2016 um novo repetidor UHF com modulação digital DMR, na frequência de 438.3125MHz/430.7125 (TX/RX), a partir da Serra do Arestal, distrito de Aveiro.

Desde esta localização, o repetidor abrange grande parte do litoral do norte do país e ainda o centro.

Testes feitos a partir deste local demonstram que o CQ0DTRZ poderá ter uma uma cobertura que se estende desde Leiria até Viana do Castelo.

Em termos técnicos, de realçar o facto de que este sistema é totalmente auto-suficiente em termos energéticos e se baseia num repetidor comercial de provadas prestações da marca Hytera.

A partir do fim de semana, e se a meteorologia assim o permitir, o CQ0DTRZ será reprogramado para aceder à rede Brandmeister, no slot 1. Para além disso, na sua reprogramação, o slot 2 DMR será programado para comunicações locais.

O titular da licença de estação de uso comum é a Associação de Radioamadores de Entre Tâmega e Douro e tem como responsável técnico Mário Valinho, CT2JSS e Mário Osório, CT2HTM. A equipa conta ainda com o apoio técnico de Amílcar Pereira, CS7ABH.
 
 

1. Tipo de estação: repetidora de modulação digital;

2. Indicativo da estação: CQ0DTRZ;

3. Coordenadas geográficas: Serra do Arestal

4. Frequência de emissão: 438,3125MHz;

5. Frequência de receção: 430,7125MHz;

6. PAR máxima: 25W;

7. Largura de faixa máxima: compatível com espaçamento entre canais de 12,5 kHz;

8. Designação de emissão: 7K60F7W;

9. Validade: até 11-04-2017;
 
 

A equipa técnica do repetidor agradece os vossos relatórios de receção e convida a comunidade a associar-se à nossa página, no Facebook, onde irá publicar novidades relativas a este projeto.

DMR Net Control

A partir deste sábado (26 de Março) volta a DMR Net Control Worldwide. Sendo uma estreia no BrandMeister, recordo que por causa do aparecimento desta última é que aconteceram as cisões entre a DMR-MARC e o DMR+. Sábado às 15:45 com uma duração de 2H terá então início a primeira sessão com a inclusão da rede BrandMeister.

Para quem queira e possa seguir deixo aqui a configuração a usar num canal será TS=1 e TG=91

O codeplug que disponibilizei para o Tytera/Retevis já tem esta alteração.

Codeplug do MD380, a explicação que faltava

 

Notei que após o download do codeplug os colegas tiveram dúvidas, perfeitamente compreensíveis, na interpretação de algo criado por outro. Por um lado o desconhecimento da rede e mesmo com esse conhecimento a impossibilidade de entender as decisões por mim tomadas.
 

Decidi então criar um pequeno manual explicando o que está dentro desse ficheiro e o serviço que pode ou não prestar.
 

Os utilizadores que fizerem o download agora do ficheiro zip já lá tem esse pequeno manual, para os outros que já tem o tem fica aqui o link para o documento.
 
 
 

O DMR e o standard que o define

 

Na prespectiva de poder elucidar o que é o protocolo ETSI TS 102 361-1, 2, 3 e 4 que compõe o DMR e afim de evitar erros de aquisição de equipamentos que se dizem DMR ou ainda a diferença entre dPMR e DMR.

 

  • ETSI TS 102 361-1 DMR Protocolo de ligação aérea
  • ETSI TS 102 361-2 DMR Serviços de Voz e Genéricos
  • ETSI TS 102 361-3 DMR Procolo de Dados
  • ETSI TS 102 361-4 DMR Protocolo Trunking

 

Os equipamentos dPMR tem o standard ETSI TS 102 361-1 e 2, permitem portanto a ligação via antena em serviços de voz e messaging. O standard DMR Tier I.
 

Os equipamentos DMR para radioamadores tem como standard o ETSI TS 102 361-1, 2 e 3, permite a ligação RF serviços de voz e messaging, – isto dado pelo Tier I, o Tier II é responsável pelo envio de dados APRS, interconexão entre repetidores, reflectores e mesmo chamadas privadas. Permite ainda todo e qualquer desenvolvimento feito sobre IP, como o sejam chamadas telefonia VoIP, ligações a outras redes IP, etc. O DMR convencional tem como standard os Tier I e II.
 
Em conclusão: Verifiquem sempre se o equipamento a adquirir está dentro deste Standard e se o fornecedor é idóneo, isto porque já existem na net equipamentos dPMR em que na lista de especificações o vendedor inclui todos os Standards dando origem que se compre “gato por lebre”.